Crase

 

Conceito

A crase é  junção de duas vogais idênticas a + a. Embora idênticas, essas vogais pertencem a categorias gramaticais diferentes. A primeira vogal a é preposição e a segunda pode ser:

a) O artigo feminino a(s);
b) O pronome demonstrativo a(s);
c) O "a" inicial dos pronomes aquele(s), aquela(s), aquilo;
d) O "a" dos pronomes relativos a qual e as quais.

Para indicar a crase utilizamos o acento grave (à). Tudo muito lindo até agora, mas quase nada disso será muito útil na prova. Então, vejamos as regras de utilização da crase.

Regra Geral 

Haverá crase quando termo antecedente exigir a preposição a e o consequente aceitar o artigo a. Novamente, grande coisa! Isso também não ajuda em muita coisa. Mas agora vou te passar o bizu! É o seguinte:  

Coloque um termo masculino no lugar do termo feminino. Se surgir a forma ao, ocorrerá crase antes do termo feminino. 

Essa é regra de ouro e que pode te salvar em 99,9% dos casos.

Exemplos:

Eu me referi à diretora. Tem crase, porque eu digo: Eu me referi ao diretor.
Fui à cidade. Tem crase, porque eu digo Fui ao bairro.

Note que se  não surgir   "ao" é porque não existe o artigo a antes da palavra feminina e assim não utilizamos crase. Vejamos alguns exemplos:

Eu conheço a diretora. Não tem crase, pois eu digo: Eu conheço o diretor
Eu me refiro a ela. Não tem crase, pois eu digo: Eu me refiro a ele 

Diante de nomes de lugares 

No caso de nomes de lugares use a seguinte regra prática:  

Se venho da crase há, se venho de case pra quê?

Venho da Itália => Vou à Itália (com crase)
Venho de Roma => Vou a Roma (sem crase)
Venho da Argentina => Vou à Argentina (com crase)
Venho de Curitiba => Vou a Curitiba (sem crase)

CUIDADO! Não decore os nome das cidades, pois pode levar a erro. Se o nome do lugar não admitir artigo feminino e vier especificada, passará a aceitá-lo e haverá crase.

Venho de Roma => Vou a Roma
Venho da Roma Antiga => Vou à Roma Antiga

Ou seja, o bizu é usar o mantra: Se venho dá crase há, se venho de case para quê?

Diante da Palavra Casa e Terra

Casa com sentido de lar (moradia)  e Terra no sentido de chão firme não admitem crase.

Exemplos:

- Voltamos a casa
- Os marinheiros desceram a terra.

Cuidado! Se vierem especificadas passam a admitir artigo e poderá haver crase se o termo regente exigir preposição.

Voltamos à casa dos amigos
Os marinheiros desceram à terra dos anões

Expressões com palavras femininas

Existem casos que ocorrendo ou não a crase (fusão da preposição e do artigo) sempre utilizamos o sinal gráfico (`) em algumas expressões femininas.

Decore: à tarde, à noite, à vontade, à procura, às pressas, às escondidas, à moda de, à medida que, à proporção que, à exceção de, à beira de, às claras, à míngua, à direita, à esquerda, à mão, à mão armada, à beça, à vista, à custa de, à espera de, à altura de,à beira de, à espreita de, à frente de, à base de. 

Exemplos:

Saímos à meia-noite

- Nesse caso, existe fusão de duas vogais a. Isso pode ser provado usando a regra geral. Substituindo pelo masculino temos: Saímos ao meio-dia

Vendi à vista

- Nesse caso, não existe fusão de duas vogais a. Substituindo pelo masculino temos: Vendi a prazo. Não é caso de crase, mas mesmo assim utilizamos o sinal gráfico. Por que o sinal deve ser usado? Note que em “vender a vista” (sem o acento grave), haveria ambiguidade. É o modo como a coisa foi vendida ou é a coisa (vista = panorama; vista=olho) que foi vendida?  

Exceção: Expressões com palavras repetidas NÃO recebem crase. Exemplos: gota a gota, cara a cara, frente a frente, uma a uma  

Pronomes relativos (a qual, quem, a cuja, que)

a) Para   "A qual e as quais". Use nossa regra de ouro: trocar por masculino.

Exemplo: A cidade à qual iremos possui belas praias. Tem crase, pois dizemos: O país ao qual iremos possui belas praias

b) Quem e cuja: Não admitem artigo. Eu disse!!! Não admitem crase.

Esta é a mulher a quem obedeço
Este é autor a cuja obra me refiro

c) Que: Geralmente não admite crase. Pode admitir com os pronomes a e as (=aquele, aquelas). De novo, use a regra de ouro! Troca por masculino

Esta é a faculdade a que aspiro (Este é o curso a que aspiro)
Esta é a cidade a que iremos (Este é o bairro a que iremos)
Sua caneta era igual à que comprei (Seu lápis era igual ao que comprei)

Aposto que até amanhã você não faz confusão entre essas regras dos pronomes. E no dia da prova você vai lembrar? Então qual o bizu para o pronomes relativos? Decore assim!

É o seguinte: coloque um termo masculino no lugar do termo feminino. Se surgir a forma ao, ocorrerá crase antes do termo feminino.  

Quem e cuja não admitem crase.  E o "resto" (que, qual, quais) uso a regra de ouro (trocar por masculino)

Crase nos pronomes demonstrativos

Haverá crase nos demonstrativos aquele(s), aquela(s) e aquilo quando o termo regente exigir a preposição

Precisa decorar essa ? Não! Novamente use a regra de ouro!

Assisti àquele filme. Tem crase, pois digo: Assisti ao filme
Aspiro àquela vaga. Tem crase, pois digo: Aspiro ao cargo

Crase facultativa

A Crase é facultativa em 3 casos: nome próprio feminino, antes de possessivo feminino, depois de até. 

Ele fez referência a Maria ou Ele fez referência à Maria
Obedeço a minha irmã ou Obedeço à minha irmã
Fomos até a feira ou Fomos até à feira.

Nunca ocorre crase

a) Antes de masculino

Caminhava a passo lento.

Ora, essa é consequência da regra de ouro! Não precisa decorar.

b) Antes de verbo.

Estou disposto a falar.

Ora, verbo não admite artigo. Logo, a fusão nunca vai ocorrer

c) Antes de pronomes em geral.

Eu me referi a esta menina.
Eu falei a ela.

d) Antes de pronomes de tratamento.

Dirijo-me a Vossa Senhoria.

Observações:

1. Há três pronomes de tratamento que aceitam crase: senhora, senhorita e dona.

Dirijo-me à senhora.

e) Quando um a (sem o s de plural) vem antes de um nome plural.

Falei a pessoas estranhas.
Falei às pessoas estranhas.

Questões de Concursos

(VUNESP/2015) Assinale a alternativa em que o acento indicativo da crase está empregado de acordo com a norma-padrão da língua portuguesa.

a)  A mulher foi à feira comprar peixe.
b)  Eles sempre pedem ajuda à um amigo.
c)  À partir de amanhã, o almoço será servido ao meio-dia.
d)  Preparei à receita que fez tanto sucesso no seu aniversário.
e)  Eles vão pescar juntos, de sexta-feira à domingo.

Comentários:

a) Tem crase, pois eu digo: A mulher foi ao bar.
b) Ora, se antes do substantivo amigo existe um artigo infinido   "um  " é porque não existe o artigo   "a  ". Logo, é impossível ocorrer a crase (a preposição + a artigo)
c) Não ocorre crase antes de verbos.
d) Não tem crase, pois eu digo:  Preparei o bolo (note que não apareceu   "ao  ")
e)  Domingo é masculino, portanão utilizamos crase.

(CESPE /CGE PI/201) No trecho “Chama-­lhe à minha vida uma casa” (l.4), é facultativo o emprego do sinal indicativo de crase

Comentários:

A crase é facultativa em 3 casos: nome próprio feminino, antes de possessivo feminino, depois de até. Na questão, temos um pronome possesivo feminino (minha). Portanto, item correto.

Education - This is a contributing Drupal Theme
Design by WeebPal.